a primavera na cidade-jardim

OBJETIVO A cidade de Maringá foi fundada em 1947 no sítio que divide as águas das bacias do Rio Pirapó e do Rio Ivaí. Recebeu projeto urbanístico do engenheiro Jorge de Macedo Vieira, que seguiu premissas do movimento da Cidade Jardim. Dentre estas, estava a tentativa de incorporar aspectos do bucolismo rural ao espaço urbano, através da criação de largas vias arborizadas, praças e parques, num sistema de espaços livres mais “saudável” para seus habitantes, em oposição ao que se entendia por espaço urbano até então, de antítese ao natural, de poluição e adoecimento. Estando a cidade em um ponto rico em nascentes por sua posição junto ao divisor de águas e sendo ocupada de acordo com um projeto urbano que preza pela presença de vegetação abundante, Maringá é hoje privilegiada. ESPAÇOS DE ESTAR, RECREAÇÃO E CORRIDAS JUNTO AO CENTRO ESPORTIVO

Contudo, tal qual nas Cidades Jardim fundadas na Grã-Bretanha, a principal infraestrutura prevista para circulação de pessoas e mercadorias era a ferrovia que, ainda na década de 1950, caiu em desuso em detrimento ao deslocamento rodoviário. As ruas largas do plano da cidade eram ideais para os automóveis, que se tornaram dominantes.

fFOTO AÉREA 2017 | ACERVO QUAPÁ

A área da estação ferroviária e o seu pátio de manobras deixou de atrair vitalidade, se tornou uma barreira urbana e seu entorno decaiu. Esta situação se transformaria com o enterramento da ferrovia e a liberação da área para a urbanização. Surge aqui a principal motivação para este trabalho: a conexão entre norte e sul da cidade, entre o Centro Cívico e o Centro Esportivo, unindo os dois lados da cidade num eixo contínuo de espaço urbano de qualidade. Isto traz potência e desenvolvimento ao seu entorno imediato e, indiretamente, para toda a cidade. É, portanto, essencial a criação de um espaço urbano democrático que promova a diversidade e a cidadania, através do convívio entre pessoas, sem distinções, evitando as armadilhas da segregação e guetificação. A cidade deve ser reconquistada para os pedestres – para os passeios, os encontros, o esporte, o comércio, os serviços. O objetivo deste projeto é contribuir para a reconquista da cidade para as pessoas, propondo um conjunto de espaços livres públicos da mais democrática fruição, de modo a contribuir positivamente para uma primavera de desenvolvimento econômico e social. FEIRA DE ORGÂNICOS NA PRAÇA NOVO CENTRO

PROJETO PARA A AVENIDA GETÚLIO VARGAS

TRAVESSIA ELEVADA NA AVENIDA DUQUE DE CAXIAS

A PRIMAVERA NA CIDADE-JARDIM RECONQUISTA DOS ESPAÇOS

– RECONQUISTA DOS ESPAÇOS URBANOS E DESENVOLVIMENTO SOCIOECONÔMICO

CANTEIROS DE ÁRVORES COMO ESTRUTURAS DE DRENAGEM

O princípio da ação é prever a redução gradativa na dependência dos deslocamentos da cidade em relação ao automóvel, e apoiar os modos não-motorizados e os coletivos – até que essas áreas de estacionamento possam ser definitivamente suprimidas, ou somente usadas em casos de eventos excepcionais com atração de grande público externo.

GRELHA METÁLICA

A redução na dependência no modo individual motorizado é coerente com o adensamento da região, com uso misto, na melhor oferta de serviços de modos coletivos e na melhora na qualidade dos espaços que amparam os modos não motorizados, alinhando-se ao que se prevê no Plano Diretor e à elaboração do PlanMob e do projeto do VLT.

RALO ALTO: CANTEIRO COMO JARDIM DE CHUVA

CANALETAS LATERAIS

PASSAGEM EM NÍVEL

NOVO CENTRO

CENTRO ESPORTIVO

Terminais muito movimentados por todo o país têm travessias de pedestres no mesmo nível dos ônibus, em faixas sinalizadas, sem que haja conflito nisto. As velocidades dos veículos são baixas no terminal e o pedestre não deve ser obrigado às travessias elevadas. Desta forma, o terminal de ônibus não é um obstáculo à vitalidade do Eixo mas um recurso bem-vindo.

O rebaixamento do ramal ferroviário permite a conexão espacial entre os lados que dividia. A desativação do grande pátio de manobras da linha férrea abre a possibilidade de transformação na região central. O plano diretor guia esse processo com o parcelamento do solo e a liberação de potencial construtivo de modo a custear intervenções públicas a partir do desenvolvimento imobiliário da área, como um novo terminal intermodal – um esforço para constituir sobre o passado ferroviário e industrial da histórica cidade jardim, uma nova fase urbanística através da criação do Novo Centro. Neste projeto é praça urbana integra dois papéis principais: o social e o ecológico.

É preciso diversificar o uso deste espaço no cotidiano, para que ele atraia público e seja fonte de animação, lazer e gere trabalhos e recursos para a cidade. Treinos de corridas, aulas de ginástica, prática de skate e outras atividades esportivas e recreativas – para todas as idades – são compatíveis com a estrutura instalada. Os estacionamentos não devem apenas abrigar carros mas food trucks, brinquedos infláveis e outras estruturas que tragam as pessoas. Os estudantes e funcionários da UEM já são um público. O antigo restaurante popular será o portal de entrada e também poderá acolher a chamada economia criativa, com startups e coworkings funcionando nos espaços construídos que estão sem uso, impulsionando a carreira de jovens e jovens-adultos.

AV. HERVAL

CENTRO CÍVICO E RELIGIOSO: PRAÇA DA CATEDRAL E PRAÇA DEPUTADO RENATO CELIDÔNIO

Na primavera da cidade-jardim, o centro é um parque aberto, acolhedor ao pedestre. As praças da Categral e Renato Celidônio deverão funcionar em conjunto: com gramados, espaços de estar, quiosques de lanche, encontros, circuitos de corridas, passeios de bicicleta e animação. A vida urbana cria oportunidades de trabalho e desenvolvimento.

Os dois trechos, conectados por passavem em nível, funcionam como uma grande praça. O anfiteatro foi redesenhado, integrado à vegetação e funciona como um piso esculpido e um espaço de estar, mesmo quando não houver apresentações. Atrás dele fica a fonte luminosa com jatos que também podem refrescar as crianças nos dias de calor.

AV. JOÃO PAULINO VIEIRA FILHO

AV. PRUDENTE DE MORAIS

BO

A transformação e o adensamento residencial contribuirão para aumentar a vitalidade dos espaços públicos. Assim, o projeto prevê uma via de tráfego compartilhado e espaços exclusivos para o pedestre. A arborização é incrementada e as grelhas na base das árvores são peça chave para ampliar os espaços de estar e de circulação e para resolver a drenagem pluvial. Cafés, restaurantes, mercados e lojas são fundamentais para a ativação plena da avenida como boulevard.

LOM

PRAÇA RAPOSO TAVARES

AV. CO

AVENIDA GETÚLIO VARGAS

AV. ADVOGADO HORÁCIO RACCANELLO FILHO

AV.TAMANDARÉ

SISTEMA TRADICIONAL DE COLETA PLUVIAL

TRAVESSA JORGE AMADO Resquício das atividades industriais que antes tomavam lugar na região central, sobretudo pela preservação de sua morfologia: uma passagem que antes conectava o pátio ferroviário com a zona de armazéns. É lugar do estar, de atividades comerciais, da alimentação, da pausa urbana entre as camadas do tempo e da memória.

N

0 10

50

100

200m

ESCALA 1:2000

01/

a primavera na cidade-jardim

OBJETIVO A cidade de Maringá foi fundada em 1947 no sítio que divide as águas das bacias do Rio Pirapó e do Rio Ivaí. Recebeu projeto urbanístico do e...

4MB Sizes 0 Downloads 0 Views

Recommend Documents

a primavera na cidade-jardim
Após a profunda transformação pela qual passou a cidade com a rebaixa- mento da linha férrea, a travessa Jorge Amado tor

a primavera na cidade-jardim
rias, pulas-pulas, brinquedos infláveis, personal trainers, ao encontro de grupos de corredores e ciclistas, de passeado

a primavera na cidade-jardim
Nas adja- cências também se encontra a antiga sede do Grande Hotel Maringá, depois. Hotel Bandeirantes, edifício de gran

a primavera na cidade-jardim
Os pisos alinhados aos canteiros receberão tratamento de canaletas que direcio- nam a água desses pisos aos canteiros. N

Pasta Primavera Pasta Primavera
Pasta Primavera. The U.S. Department of Agriculture (USDA) prohibits discrimination against its customers, employees, an

A primavera árabe
baldes para regarem seu florido jardim que, no meio da areia, da miséria, ... Não foi bem o início de uma “Primavera Bra

O estampado em alta na primavera
O segredo está em aliá- la a peças simples, dando destaque ao desenho”, aconselha. Outra dica, que também vale pa- ra ou

Arrollado primavera
Arrollado primavera. Pàgina 1. © 2017 Unilever Food Solutions Chile service.unileverfoodsolutions.com. 27.03.2017. Ingre

é primavera!
Etevaldo Lucas. Carlos Henrique Santiago ..... al, transmitido por meio de cabo da rede de energia ..... na, 1.200, 19º

Troféu Primavera
22 de mai de 2018 - Telefone: +351 910 863 457 (Aulas e Torneios), +351 965 486 199 (Alugueres). Fax: Email: [email protected]